Quem sou eu

Minha foto
Este blog foi uma sugestão da professora Tereza Cristina como tecnologia da informação e comunicação a ser utilizada na disciplina Tecnologia Aplicada à Educação no curso de Pedagogia da Faculdade da Cidade. A elaboração do blog como diário das aulas vem sendo uma atividade bastante interessante e que realmente tem a ver com a disciplina. No decorrer da construção do blog houve dificuldades, como tudo no começo, mas vencidas as dificuldades inicias adoramos a atividade proposta. Nesse blog vocês terão acesso aos seguintes conteúdos: análises dos textos "Internet - um novo espaço de aprendizagem na formação do professor pesquisador" e "A Gestão de Informação e Comunicações" ; análise dos filmes, “ O Pequeno Nicolau”, “Nenhum a Menos”, “O diário De Uma Babá” e “Escritores da Liberdade” . As autoras deste blog são: Ana Cristina, Daniele Cristina, Dannyelly Duarte, Fernanda Santos, Mariana Souza e Viviane Carlos. Agradecemos a Deus, a professora e ao grupo pela tamanha dedicação ao nosso processo de aprendizagem e as nossas conquistas acadêmicas.

domingo, 11 de dezembro de 2011

SEMINÁRIO TID II - A cidade que educa com projetos sociais que utilizam o esporte como forma de sociabilidade.


A capoeira




Sabe-se que a escola não é o único espaço que educa. O sujeito na contemporaneidade ordena as suas vidas em diversos espaços sociais. Nesse sentido, as cidades se constituem em uma ambiente real/virtual de aprendizagem. Isso significa dizer que nas cidades existem vários lugares com conteúdos (informações) que contribuem para a aprendizagem da população, a exemplo dos museus, zoológicos, parque de diversões, praça, OGN’s etc. A esse respeito Gadotti vai dizer que a cidade educa.

Uma cidade pode ser considerada como uma cidade que educa, quando, além de suas funções tradicionais – econômica, social, política e de prestação de serviços – ela exerce uma nova função cujo objetivo é a formação para e pela cidadania. Para uma cidade ser considerada educadora ela precisa promover e desenvolver o protagonismo de todos e de todas – crianças, jovens, adultos, idosos – na busca de um novo direito, o direito à cidade educadora: “enquanto educadora, a Cidade é também educanda. Muito de sua tarefa educativa implica a nossa posição política e, obviamente, a maneira como exerçamos o poder na Cidade e o sonho ou a utopia de que embebamos a política, a serviço de que e de quem a fazemos. (GADOTTI, Moacir. A Escola da cidade que educa, p.02)

Nesse contexto, a nossa equipe está inserida na temática a Cidade que Educa ou a cidade educadora. Para tanto, escolhemos o bairro de Fazenda Coutos como espaço de aprendizagem e como recorte temático os projetos sociais que utilizam o esporte como forma de sociabilidade entre crianças de 09 a 13 anos do bairro de Fazenda Coutos III. O esporte tem grande influência na formação e educação do ser humano, olharemos para os projetos sociais com esporte como espaço de socialização.
Temos como relevância desta pesquisa conhecer qual a importância destes projetos sociais na vida das crianças desse bairro e como esses projetos contribui para a formação de cidadãos conscientes. É relevante também, verificarmos o que as famílias acham sobre esses projetos e quais as mudanças perceptíveis na vida dessas crianças após a inserção no meio do esporte.

Problemática da equipe 
  • De que forma os projetos sociais contribuem para a formação social das crianças de 09 a 13 anos do Bairro de Fazenda Coutos III?
  • Como a comunidade interfere nas demandas para a implantação desses projetos sociais?
  • A família participa no desenvolver desse projeto?
  • Como a família e agentes sociais dessa comunidade avaliam os resultados obtidos através desse projeto na vida dessas crianças?
Objetivo: Geral e Específicos 

                GERAL
  • Conhecer como os projetos sociais com esportes influenciam na formação social das crianças de 09 a 13 anos do bairro de Fazenda Coutos III.

    ESPECÍFICOS
  • Iddentificar quais foram às demandas da comunidade Fazenda Coutos III que geraram a implantação dos projetos sociais com esportes.
  • Investigar e analisar qual é a participação da família, desta comunidade, no desenvolvimento dos projetos sociais?
  • Conhecer quais são os resultados obtidos através desse projeto na vida dessas crianças segundo a família e agentes sociais dessa comunidade.


ANEXOS: FOTOS DO SEMINÁRIO DE TID II










quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Seminário da Prof. Gidélia Alencar

A avaliação:

video
AVALIAÇÃO APRESENTA TRÊS FUNÇÕES
  • Diagnosticar;
  • Controlar;
  • Classificar;
RELACIONADAS A ESSAS TRÊS FUNÇÕES EXISTEM 3 MODALIDADES DE AVALIAÇÃO:
  • A Aavaliação diagnóstica
  • A Avaliação formativa
  • A avaliação somativa
PROPÓSITOS DA AVALIAÇÃO
  • Conceitos teóricos referentes à avaliação;
  • Modalidades basicas que aparecem na prática cotidiana do professor em sala de aula;
  • O professor pode utilizar dos resultados da avaliação na prática diária
    AVALIAR PARA CONHECER OS ALUNOS
  • Um dos propósitos da avaliação é informar o professor sobre o nível de conhecimentos e habilidades de seus alunos;
  • Frequência de classes heterogêneas;
  • A avaliação diagnóstica auxilia a formação e o remanejamento das classes;
A avaliação então permite verificar o nivel de aprendizagem dos alunos. Mas, para isto o professor deve-se questionar sempre a sua didática posta em pratica em sala de aula.
O professor deve encontrar questões na tentativa de melhorar o processo de ensino dos alunos considerados de "baixo rendimento".

Fotos da equipe do trabalho de Linguagens e produção de texto!

Por uma relação epistêmica do saber..

Nosso trabalho, sobre um artigo da nossa maravilhosa orientadora Jacqueline Andrade, esta ai duas fotinhos abaixo  para conferirem, isso foi justamente no dia da nossa despedida =/...


O trabalho

 A equipe

video

Paulo Freire
  • Paulo Freire nasceu em 1921 em Recife. Com o agravamento da crise econômica mundial e a morte de seu pai, quando tinha 13 anos, Freire passou a enfrentar dificuldades econômicas e conheceu a fome. Suas idéias pedagógicas se formaram da observação da cultura dos alunos - em particular o uso da linguagem - e do papel elitista da escola. Freire passou 70 dias na prisão antes de se exilar. Em 1968, no Chile, escreveu seu livro mais conhecido, Pedagogia do Oprimido.
  • Com a anistia, em 1979, voltou ao Brasil, integrando-se à vida universitária. Filiou-se ao Partido dos Trabalhadores e entre 1989 e 1991, foi secretário municipal de Educação de São Paulo. Morreu em 1997, de enfarte.
  • Foi o mais célebre educador brasileiro, com atuação e reconhecimento internacionais.
  • Conhecido principalmente pelo método de alfabetização de adultos que leva seu nome, ele desenvolveu um pensamento pedagógico assumidamente político.
  • Freire criticava a idéia de que ensinar é transmitir saber por que para ele a missão do professor era possibilitar a criação ou a produção de conhecimentos.


"Toda a obra de Paulo Freire é uma concepção de educação embutida numa concepção de mundo", diz José Eustáquio Romão.





O ambiente político-cultural em que Paulo Freire elaborou suas idéias e começou a experimentá-las na prática foi o mesmo que formou outros intelectuais de primeira linha, como o economista Celso Furtado e o antropólogo Darcy Ribeiro (1922-1997).
O educador procurou fazer uma síntese de algumas correntes do pensamento filosófico de sua época, como o existencialismo cristão, a fenomenologia, a dialética hegeliana e o materialismo histórico. Essa visão foi aliada ao talento como escritor que o ajudou a conquistar um amplo público de pedagogos, cientistas sociais, teólogos e militantes políticos, quase sempre ligados a partidos de esquerda.




Paulo freire, apresentação da nossa equipe da disciplina Psicologia da Aprendizagem Escolar.
Um grande educador,  quase que um simbolo da Pedagogia, muito julgado, odiado e adorado, realmente é difícil não se apaixonar com suas atitudes em relação com a educação!


A equipe e a professora de Psicologia, no dia do seminário!!



Filme Capitães da Areia




Capitães da Areia: 
Em capitães da Areia,  é mostrado em Salvador nos anos de 1930,  crianças e jovens, sem infância, e sem esperança que acaba a praticar crimes: um assunto bastante abordado hoje na capital baiana de Salvador, uma tremenda violência resultado de famílias despreocupadas  que resultam na vida destes jovens, a exclusão social. Infelizmente alguns jovens personagens no filme morrem lutando, no seu cotidiano diante das situações às quais são submetidos, mesmo não as desejando. 
Dirigido pela neta de Jorge Amado,  Cecília Amado, o filme Capitães da Areia mostra personagens de baixa renda, mostra o esporte capoeira, e os pescadores, trazendo uma abordagem cultural brasileira.





segunda-feira, 19 de setembro de 2011

--> A GESTÃO DA INFORMAÇÃO DAS COMUNICAÇÕES



As tecnologias, segundo Figueiredo (2003), permitem o uso da informática dentro e fora das instituições  e necessitam de profissionais aptos a usá-las e geri-las tanto para o indivíduo, quanto para a organização. Entretanto, mesmo sendo esses profissionais formados pelo ensino superior é difícil identificar o perfil profissional adequado à gestão de processos de informação/eletrônica/comunicação.

O autor aponta que a tecnologia evoluiu e abriu amplas possibilidades de prestações de novos serviços. Sendo assim, a necessidade de disseminar informações passou a ser uma atividade vital para qualquer organização da sociedade. A sociedade e o mercado exigem profissionais preparados, capaz de gerir, tratar e espalhar a informação utilizando as conquistas tecnológicas na informática, comunicações e eletrônica.

Esses profissionais terão que ser capazes de: monitorar informações sobre o ambiente social, cultural, político, econômico e de mercado; dominar dois níveis de linguagem: a terminologia da fonte ou produtor e a linguagem para comunicação com o público; enfatizar o uso da informação como uma vantagem competitiva para o indivíduo e as organizações na sociedade; e reconhecer o valor econômico e político da informação.
Nesse contexto, o informata terá de ser estrategista, com capacidade de informação, compreensão, análise crítica e interpretação da realidade. Para Figueiredo (2003) com o seu perfil traçado ele deverá evitar: gastos excessivos originados da duplicação de dados e do fracionamento dos serviços de informação, conflitos de poder e desinformação. Sua principal missão será transformar informação em conhecimento e ação. Acrescenta que “o artigo 53 da lei de Diretrizes e Bases 1996 em seu parágrafo único assegura a autonomia didático-científica das Universidades”(p.), nesse caso, seus colegiados de ensino e pesquisa ganham autonomia para decidir sobre: criação, expansão e extinção de cursos; ampliação e diminuição de vagas; elaboração de programas de cursos; programação das pesquisas e das atividades de extensão; contratação e dispensa de professores; planos de carreira docente. Dessa forma, extingue-se assim a necessidade de cumprir um currículo mínimo e uma carga horária rígida.

Fica evidente, na posição do autor, que as referidas reformulações deve ser coerente com o desenvolvimento técnico e científico. Acrescenta que, além disso, deve-se levar em conta “[...] a notória convergência que existe entre o perfil desejado para o informata e o dos já existentes profissionais da área da ciência da informação, informática e comunicações, parece sensato pensar-se numa revisão mais ampla de caráter estrutural” (p.)

Neste sentido, ele indica alguns passos preparatórios, tais como: definir o perfil desejável para informatas, com conhecimento e domínio da evolução tecnológica em Informática, comunicações e eletrônica, com capacidade gerencial, capacidade de se antecipar à demanda do meio ambiente e de se adaptar o ser perfil a novas demandas; refletir um programa estratégia que não se abandone o passado e se vislumbre o futuro com diversidade e atividade e ocupações para profissionais das respectivas áreas; aperfeiçoar o sistema de ensino com acesso a redes e bases de dados não só na biblioteca, mas, também, na própria sala de aula; conceber o estagio como estado de vivencia profissional em que o educando tenha a oportunidade de ampliar os conteúdos vinculados pelo curso em situações completas; e rever a estrutura curricular da graduação.

--> ANALISE FILMICO - NENHUM A MENOS





A interpretação do filme: 
- Um professor precisa se ausentar e nomeia uma garotinha de 13 anos a continuar a dar as aulas com a missão de não deixar nenhum aluno abandonar a escola. Mas um havia um discente que necessitava trabalhar para ajudar os seus pais, pois o mesmo possuia muitas dividas e o aluno precisou sair da escola. Com isso a menina resolve ir atrás do garoto enfrentando muitas barreiras e entre idas e vindas ela consegue achar o garoto através de um anuncio de televisão que ela faz.


A parte central: 
- A professora dá de cara com as dificuldades que a escola possui, por não ter condições de pagamento, nem condições de comprar materias para investir nos alunos. O que mais nos chamou a atenção foi a tamanha coragem da professora que teve tantos confrontos e ainda assim teve garra de persisti passando fome e frio so por um motivo: nenhum aluno a menos.


Quais são os recursos utilizados pelo autor para discutir a ideia central?
- A abordagem das questões sociais, a desigualdade, a perseverança, os metodos e tecnicas de ensino-aprendizagem, entre outras caracteristicas encontrada no filme que acaba provocando reflexões para lidar com as demasiadas sociedade, visando melhoras para a transformação da mesma na qual o individuo está inserido.


Que abordagem é essa?
- Essa abordagem é sociológica, pois visa mostrar  os problemas de uma sociedade na china numa pequena aldeia que não possui muitos recursos em uma sala de aula, mais com o seguinte proposito de formar cidadões para que possa ter sucesso no futuro preparando assim para o mercado de trabalho.


Relacionar o filme com a educação: 
- A educação encontrada nesse filme é a tipica educação investidora, que visa o futuro, porém não possui utensílio para desfrutar desse bem maior. A maioria dos professores não vão além do ensino-aprendizagem pois esta ação não é prioritária para todas as pessoas do mundo. Aos profissionais da educação impomos a seguinte mensagem: Nas demasiadas situações é necessário se impor utilizando e desfrutando os instrumentos para a sala de aula não se tornar mais um aconchego resultante de monotonia.


Analise final:
Ana Cristina: O filme Nenhum a menos para mim é um filme muito instigante, pois aborda uma historia de uma jovem adolescente que assume uma sala de aula retratando assim a preocupação com a educação na sociedade chinesa, uma pessoa que por não ter muita idade soube agir melhor do que tem experiência em uma longa vida, esse filme ajuda muito as pessoas a se observar e ver que nem sempre a experiência se põe em mesa.


Daniele Cristina: O filme me emocionou muito, pois uma nunca imaginei que a pequena menina pudesse enfrentar tantas barreiras, no inicio ela fez tudo isso por dinheiro mais depois deu para perceber que o ideal dela era fazer com que os alunos aprendensem para tem uma vida melhor no futuro.


Dannyelly Duarte: O filme nenhum a menos trás uma mensagem muito importante, e esse vem da educação, ajudar aqueles que mais precisam de um suporte para crescer na vida.


Fernanda Santos: Esse filme me fez ter uma visão além do que eu ja tinha: a solidariedade. Na nossa vida a gente sempre vai encontrar barreiras, alguêm que nos bote para baixo, mais se a gente aspira algo, vamos até o fim, não importa as consequências, o que importa é tentar. E quanto ao exemplo que a pequena professora deu, foi mais do que qualquer exemplo, pois este vem da educação: o unico instrumento que é capaz de mudar os individuos.


Mariana Souza: O filme Nenhum a menos traz a mensagem que a forma que você encara os 
obstáculos e a depender da sua postura diante das situações propostas, ajuda e muito a realização de seus objetivos.


Viviane Carlos: A minha com a analise desse filme é que a educação pode moldar as pessoas, mesmo não tendo dinheiro aquele que recebe instrução pode ir além.